Blog

5 coisas que as pessoas odeiam sobre a internet em Hotéis

Expedia.com.br, site local de uma das maiores agências com soluções completas de viagens do mundo, e Egencia, a marca de viagens de negócios da Expedia, Inc. (NASDAQ: EXPE), divulgou os resultados do Índice Mobile Expedia.com.br/Egencia 2014, um estudo global de comportamento e preferências relacionadas aos dispositivos móveis entre os viajantes da América do Norte, América do Sul, Europa e Ásia-Pacífico.

O estudo revelou uma profunda dependência dos viajantes modernos por seus dispositivos móveis – definidos como smartphone, tablet, e-reader, laptop ou SmartWatch.

Em todo o mundo, 94% das pessoas levam pelo menos um dispositivo móvel ao tirar férias, e 97% trazem pelo menos um dispositivo em viagens de negócios.

O Índice Mobile 2014 da Expedia.com.br/Egencia foi encomendado pela Expedia.com.br e conduzida on-line pela Northstar, uma empresa de pesquisa e consultoria global. O estudo foi realizado entre 8.856 adultos empregados em 25 países.


1- Internet Wifi ruim ou com tarifação para hóspedes

Dada a presença dos dispositivos móveis em viagens, os viajantes priorizam cada vez mais a acessibilidade WiFi. 56% dos viajantes relatam que a disponibilidade de Wi-Fi e preço impactam sua decisão de compra ao selecionar um hotel.

Pesquisa de uma grande rede hoteleira internacional revela que 70% dos hóspedes não retornam ao hotel se a internet for ruim e querem acesso gratuito nas áreas comuns e no apartamento.

Quando solicitados a classificar amenidades móveis relacionadas a hotéis, os turistas a lazer classificaram “Wi-Fi grátis” em primeiro lugar, à frente de acesso à Internet de alta velocidade, conectividade com fios no quarto e um centro de negócios com computadores e impressoras. Os viajantes a negócios consideram WiFi gratuito ainda mais importante, com 86% dos viajantes classificando-o como muito ou relativamente importante no momento de reserva de hotel para viagens a negócios.

Muitas redes hoteleiras voltadas ao público corporativo, cientes desta nova necessidade de mercado, estão investindo em apartamentos e ambientes mais modernos, denominados “high tech”, onde é oferecido todo “aparato tecnológico” possível para este cliente. Como internet wirelless sem custo, com conexão segura e de qualidade a qualquer hora, além de dock station para Ipod e tablets, SmarTV, mesa para notebook e acesso a TV a cabo.

Conheça o Galton E aumente a inteligência da sua rede. 

 

2 – Pessoas que realizam chamadas em viva-voz

“Tirar fotos e gravar vídeos de pessoas que não conhecem” é considerado um comportamento ofensivo de uso de smartphones por 42% dos viajantes do mundo, perdendo apenas para “fazer chamadas em viva-voz” (53%) e “ouvir música, jogar e ver vídeos sem fones de ouvido” (47 %).

3- Falta de pontos para recarga de telefones e dispositivos móveis 

16% dos viajantes globais mantém um cabo de recarga com eles em todos os momentos, para recarregar seus dispositivos móveis no momento em que este fica sem bateria. 47% relataram que iria esperar para recarregar o telefone quando retornar ao hotel. 14% transportam uma bolsa ou pacote de bateria recarregável. Apenas 1% pagaria para usar uma estação de carregamento público ou quiosque de recarga segura.

4 – Blogs de turismo para a escolha do destino e reservas

72% dos brasileiros consideram as recomendações pessoais como fonte confiável nas informações para viagens. Opiniões de outros viajantes (55%) também são confiáveis, seguida das notícias (54%). Mídias sociais (38%) e blogs de turismo (42%) ainda não são considerados tão confiáveis por brasileiros quanto às fontes citadas anteriormente.

Reservam pessoalmente pacotes, hotéis, voos. No geral, para reservar as viagens, os brasileiros preferem ir pessoalmente (62%), mas também há os que reservam online (49%) ou por telefone (44%).

Mesmo assim, comentários negativos na internet podem impactar e ainda mudar os planos de viagem…

5- Comentários negativos online sobre o Hotel

Quando o hotel não dispõe de wirelless e o business center é terceirizado a complicação é ainda maior. Desde que as pessoas começaram a viajar, todos compartilham opiniões sobre hotéis, mas até pouco tempo, as avaliações eram transmitidas boca a boca, ou por meio de avaliações exclusivas feitas por autores reconhecidos de guias de viagens. Atualmente existem inúmeros sites de viagem e mídias sociais que oferecem centenas de críticas feitas por consumidores.

A Olery, uma empresa que oferece gestão de reputação de marca para hotéis, afirmou em um relatório que cerca de 78% dos viajantes utilizam comentários online para escolher qual hotel reservar.

Com 78% dos viajantes considerando comentários online na hora de planejar sua própria viagem, hotéis tentam conter mensagens negativas em sites como o Trip Advisor.

 

Veja mais dados interessantes da pesquisa

Durante a viagem, tanto os viajantes a lazer quanto os que de negócios utilizam as seguintes funções de aplicativos móveis/dispositivos com mais frequência:

E-mail / mensagens: 61%
Gravação da câmera / vídeo: 50%
Mapas / navegação: 47%
Mídias sociais: 45%
Clima: 38%
Utilidades (alarme, calculadora): 33%
Entretenimento: 24%

Enquanto laptops e computadores são a maneira mais comum para reservar viagens, 78% dos viajantes a negócios usaram seus smartphones para planejamento de viagens e 71% usaram tablets. Os usos mais comuns para ambos os dispositivos são organização de itinerários (37% e 32%) e busca por destinos (35% e 32%). Outras atividades populares são as compras de hotéis, receber alertas de vôo e check-in de voos. Globalmente, 28% dos adultos empregados que possuem um dispositivo móvel usaram um smartphone ou tablet para reservar um hotel.

Apesar do aparente desejo de permanecer conectado durante a viagem, apenas 35% dos viajantes compram um plano internacional de dados/roaming quando viajam. Os indianos são, de longe, os mais dispostos a fazer isso, com 68% dizendo que compraria, enquanto apenas 12% dos franceses adquiririam tal plano.

__________________________________________-

Fonte: Pesquisa divulgada pela Expedia.com.br