Blog

Streaming: Globo.com já se prepara para os Jogos Olímpicos Rio 2016

O streaming de vídeos desafia as empresas de Internet para as Olimpíadas 2016.

A Globo.com, por exemplo, preparou um esquema de guerra para a Copa do Mundo. Foram estabelecidas quatro premissas:

  1. Atender aos diversos dispositivos (multidevices)
  2. Ter escalabilidade
  3. Focar na qualidade para os usuários e
  4. Oferecer a melhor experiência de vídeo

conforme relatou Marcus Vinícius Cesário, da Globo.com, durante o PTT Fórum, evento realizado pelo NIC.br nesta semana em São Paulo, que terá cobertura especial do portal da Abranet.

Aumentamos de três a quatro vezes nossa capacidade de banda para pouco mais de 1 Tbps. Com isto, tínhamos infraestrutura para atender 1 milhão de usuário simultaneamente”, detalhou. Esta estrutura de pouco mais de 1 Tbps ficou dividida entre São Paulo, com 600 Gbps, e Rio de Janeiro, com 512 Gbps.

Para atender a 500 mil requisições por segundo, a Globo.com trabalhou com 80 servidores distribuídos entre Rio de Janeiro e São Paulo, com capacidade de 18 Gbps por servidor, o que permitiu suportar capacidade de 1440 Gbps por servidor. Cesário explicou ainda que, durante a Copa das Confederações, a Globo.com enfrentou problemas técnicos no meio físico de transmissão, com a fibra ótica. “Para a Copa, conseguimos arrumar e aumentamos a estrutura.”

Além desses ajustes, também foram implantadas a transmissão PiP (picture in picture) para o usuário conseguir voltar o vídeo e assistir a um pedaço do jogo de novo e multicâmeras para o internauta escolher de qual câmera gostaria de ver o lance na reprise.  O player para transmitir os jogos foi alterado para HLD em 6 qualidades diferentes.

“Em alguns casos, quando havia saturação na banda, o usuário ia para fila de espera. Isto foi feito de forma dinâmica para não prejudicar quem estava vendo ou perder a qualidade”, destacou Marcus Cesário. Tais ajustes foram necessários para suportar momentos de picos com 490 mil usuários simultâneos e 680 Gbps, ainda que o volume registrado tenha sido aquém do esperado. Foram 40 milhões de video views e 30 bilhões de segundo assistidos.

Com as lições aprendidas durante a Copa do Mundo de 2014, a Globo.com já se prepara para os Jogos Olímpicos Rio 2016. O maior desafio será com relação ao número de jogos bem superior ao da Copa: são em média 30 eventos ocorrendo simultaneamente. Entre as alternativas para driblar esta dificuldade, Marcus Vinícius Cesário, acenou que a Globo.com pensa em uma estrutura P2P híbrido e na adoção de IPv6.

“Trabalhamos para colocar peer-to-peer híbrido, mas sem necessidade de instalar plug-in no usuário”, disse Cesário, explicando que testes estão sendo feitos em ambientes controlados. Desta maneira, se usuário não conseguir buscar conteúdo na CDN, pode “pegar” de usuário que estiver mais próximo.  

__________________________________________________________

Texto e cobertura por Roberta Prescott via Convergência Digital

Saiba aqui como o seu Provedor pode se preparar para os Jogos Olímpicos Rio 2016.